1. Home
  2. ...
  3. O Plano de Sustentabilidade Unilever
  4. Oportunidades para mulheres

O Plano de vida sustentável da Unilever para

Oportunidades para as mulheres

Oportunidades para mulheres

Queremos ajudar a construir um mundo onde cada mulher e rapariga possa criar o estilo de vida que pretende, sem estarem constrangidas por normas e estereótipos prejudiciais. Acreditamos que um mundo onde as mulheres são economicamente capacitadas será um local mais justo, feliz e próspero para viver – e que os nossos negócios irão prosperar nele.

Alterar as normas e eliminar o fosso entre géneros

Ao ritmo atual, as mulheres terão de esperar 100 anos para que as disparidades entre homens e mulheres sejam eliminadas – uma espera que, apesar dos avanços da última década, na realidade foram mais lentos em 2017. O Gender Gap Report do Fórum Económico Mundial, publicado em novembro de 2017, revelou que o fosso entre homens e mulheres na saúde, educação, política e locais de trabalho se alargou pela primeira vez desde o início dos seus registos em 2006.

Esta espera é inaceitável – para a atual e as futuras gerações de mulheres e raparigas, e para as sociedades e economias às quais pertencem, assim como o nosso negócio.

Queremos que a nossa empresa seja uma força de liderança no eliminar dessas diferenças, e para desafiar e alterar as normas e estereótipos prejudiciais que representam uma barreira para a capacitação económica das mulheres – e também as normas e estereótipos de masculinidade que limitam também os homens.

Capacitar as mulheres pode transformar o mundo

Capacitar as mulheres irá transformar vidas individuais, e irá também transformar sociedades. É essencial para a Agenda de Desenvolvimento Sustentável 2030 das Nações Unidas e os seus Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A capacitação de mulheres e raparigas é o foco do ODS 5 - Igualdade de Género. Mas, tal como a necessidade de trabalhar em parcerias (ODS 17), a capacitação feminina é um fio condutor que une todos os ODS. Em especial, sustenta todos aqueles que pretendem melhorar o acesso a competências, ao emprego e à capacitação económica que daí resulta.

Também o nosso negócio será transformado: as mulheres representam 70% da nossa base de consumidores, 50% da reserva de talentos de onde recrutamos os nossos trabalhadores, e desempenham papéis cruciais na nossa cadeia de fornecimento e a permitir-nos alcançar consumidores com os nossos produtos. Através da criação e apoio a oportunidades para as mulheres na sociedade e na economia, temos a possibilidade de crescer os nossos mercados, marcas e negócios.

A nossa estratégia

Acreditamos que a capacitação das mulheres é o maior catalisador do desenvolvimento humano e do crescimento económico – e que mudar as normas e estereótipos que limitam as mulheres irá permitir que a sociedade e o nosso negócio se transformem para melhor.

Mulheres capacitadas: criar um negócio e futuro melhores

As mulheres capacitadas estão a desempenhar um papel vital na criação de economias prósperas onde o nosso negócio pode crescer – e aumentando ainda mais as suas oportunidades irão aumentar as nossas. Em todo o mundo, as mulheres controlam 64% das despesas de consumo e são o grupo de consumidores em mais rápido crescimento. A igualdade para as mulheres na força de trabalho global adicionaria até $28 triliões à economia global até 2025, de acordo com o McKinsey Global Institute. É uma oportunidade muito significante para qualquer negócio, particularmente para um como o nosso onde mais de 70% dos nossos consumidores são mulheres.

Mas como demonstra o Global Gender Gap Report 2017 do Fórum Económico Mundial, o fosso não se está a fechar suficientemente rápido. O que está então a atrasar a igualdade?

Desafiar as normas de género que atrasam o crescimento

O Painel de Alto Nível da ONU sobre a Capacitação Económica das Mulheres declarou que “a alteração das normas deveria ser colocada no topo da Agenda 2030 para ampliar as oportunidades económicas das mulheres”. Os nossos próprios estudos apoiam a evidência crescente que algumas das maiores forças por trás do fosso persistente entre géneros são normas sociais prejudiciais e estereótipos, que limitam as expectativas daquilo que as mulheres podem ou devem fazer. Estas normas antiquadas que discriminam as mulheres encontram-se por todo o lado e estão profundamente enraizadas.

Desafiar e alterar essas normas é portanto uma parte essencial da nossa estratégia. Temos uma visão de um mundo onde cada mulher e rapariga pode criar o estilo de vida que deseja levar, livre de normas e estereótipos prejudiciais. E um mundo onde também os homens estão livres dos limites de normas sociais e estereótipos adversos de masculinidade, e onde as economias estão em crescimento e criam oportunidades similares para homens e mulheres.

Capacitar mulheres ao longo da nossa cadeia de valor

Temos uma ótima oportunidade para ajudar a criar esta visão de libertar o potencial das mulheres ao longo da nossa cadeia de valor alargada e na sociedade em geral. Começamos com políticas e práticas progressivas nos nossos próprios locais de trabalho e operações da cadeia de fornecimento. Sobre esta base, colaboramos com outros para criar oportunidades para as mulheres na nossa cadeia de abastecimento alargada, através das nossas redes de distribuição, as nossas marcas e produtos. Estabelecendo parcerias, através de liderança e promoção, desencadeamos o poder da ação coletiva para uma mudança transformacional sustentável.

No nosso Relatório sobre Oportunidades para as Mulheres (PDF | 7MB) delineámos como esta abordagem ao longo da nossa cadeia de valor pretende:

  • criar uma organização com equilíbrio de géneros focada na gestão
  • promover a segurança das mulheres nas comunidades onde operamos
  • melhorar o acesso à formação e competências
  • aumentar as oportunidades na nossa cadeia de valor
  • trabalhar em colaboração para desafiar normas e estereótipos de género antiquados.
Um esforço global onde a parceria é o elemento-chave

Desenvolver normas de género justas e equilibradas, e retratos modernos de mulheres e raparigas, requer uma ação coletiva alargada. Atores de todos os setores necessitam de trabalhar em conjunto, e as empresas devem ser parte da solução. Participamos em plataformas que nos ajudam a trazer ideias para a Unilever e partilhar as nossas próprias ideias com o resto do mundo. Muitas das nossas parcerias estão descritas nas páginas deste relatório sobre as Ações. Algumas plataformas-chave que se focam em fomentar a mudança através de sistemas e setores incluem:

  • associámo-nos ao Painel de Alto Nível para a Capacitação Económica das Mulheres, do Secretário-Geral da ONU, e participámos em grupos de trabalho orientados para o combate a normas adversas e alteração da cultura de negócio
  • assumimos um compromisso com o movimento HeForShe da ONU Mulheres para fomentar o progresso das mulheres. O seu objetivo é alcançar a igualdade encorajando os homens e rapazes a atuarem como agentes de mudança e agirem contra as desigualdades negativas enfrentadas por mulheres e raparigas
  • a nossa parceria público-privada TRANSFORM com o Departamento para o Desenvolvimento Internacional do Reino Unido é um investimento conjunto de £40 milhões. Pretende desenvolver soluções baseadas no mercado para permitir que, até 2025, 100 milhões de pessoas na África Subsaariana e na Ásia ganhem acesso a produtos e serviços que tenham demonstrado melhorar a saúde, modos de vida, o ambiente ou o bem-estar. Um efeito-chave da TRANSFORM é a capacitação das mulheres
  • somos membros da Unstereotype Alliance – uma iniciativa liderada pela ONU Mulheres em parceria com a Unilever e líderes de setor que incluem o WPP, IPG, Facebook, Google, Mars, Microsoft e J&J, constituída para banir os retratos estereotipados de género da publicidade e de todos os conteúdos de marcas.
Uma prioridade central do nosso Plano de Sustentabilidade Unilever

Criar oportunidades para as mulheres não é um objetivo isolado – de facto, atravessa todo o Plano de Sustentabilidade Unilever e é um elemento central para muitas das nossas metas de sustentabilidade transformacional. Podem ser encontrados exemplos ao longo de todo este relatório, por exemplo no modo como a Dove está a ajudar jovens a criarem autoestima e confiança no seu corpo , como estamos a melhorar o acesso à formação e competências para mulheres na nossa cadeia de fornecimento agrícola através do nosso Enhancing Livelihoods Fund e como estamos a criar oportunidades económicas para as mulheres que lhes permitam participar na nossa rede de desenvolvimento do consumidor através da nossa iniciativa Shakti.

O nosso compromisso

Até 2020 iremos capacitar 5 milhões de mulheres através do aumento das oportunidades para mulheres nas nossas operações, promoção da segurança, desenvolvimento de competências e aumento das oportunidades na nossa cadeia de valor.

Progresso até à data
  • Melhorámos o nosso equilíbrio entre géneros, com a proporção de mulheres em posições de gestão a alcançar 47%† em 2017.
  • Através de parcerias, até 2017 permitimos que 1,259,000† Ж (ou cerca de 1.3 milhões) de mulheres acedessem a iniciativas orientadas para a promoção da sua segurança, desenvolvimento das suas competências ou melhoria das suas oportunidades.

Assegurado de modo independente pela PwC

Ж Em 2017 cerca de 370,000 mulheres acederam a iniciativas ao abrigo dos pilares Negócio Inclusivo e Oportunidades para as Mulheres

Desafios futuros

Como demonstra o Global Gender Gap Report do Fórum econômico mundial de 2017 mostra, o progresso em direção à igualdade de gêneros não pode ser subestimado e não há espaço para complacências apesar das vantagens obtidas em nossos negócios e na sociedade em geral nos últimos anos.

2017 do Fórum Económico Mundial, o progresso em direção à igualdade de géneros não pode ser dado como garantido, e não há espaço para a complacência apesar dos avanços efetuados no interior da nossa empresa e na sociedade em geral ao longo dos últimos anos.

Se queremos alcançar o mundo que desejamos até 2030, precisamos de criar uma sociedade sem desigualdade entre géneros. Isto significa ir além do simples foco em alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 5 da ONU, o objetivo específico sobre esta matéria. A igualdade de géneros e a capacitação das mulheres e raparigas tem de acontecer em todos os ODS para assegurar o seu sucesso. Como escreveu o nosso CEO Paul Polman, em novembro de 2017: “É necessária uma ação concertada, consistente e contínua, e eu apelo aos líderes para olharem com muita atenção para os géneros – e em particular para as normas sociais que os limitam – em todos os seus programas, independentemente do ODS a que digam respeito, mesmo que os benefícios possam não ser necessariamente visíveis a curto prazo.”

Além de ser holística, está claro que a ação tem de ser colaborativa. Temos de manter os nossos esforços para combater as barreiras de género ao longo da nossa cadeia de valor. Mas as normas sociais e estereótipos de género prejudiciais e fortemente enraizadas não desaparecerão sem uma ação coletiva que inclua governos, sociedade civil e empresas.

A Unilever, tal como qualquer um que deseja ver o potencial das mulheres libertado e no seu pleno, necessita de continuar em busca de novas abordagens. Isto significa novos modos de avaliar e gerir o nosso impacto social de forma eficiente e em grande escala. E novos modos de efetuar parcerias, incluindo com governos e a sociedade civil. Em especial, exige que exploremos a influência coletiva da comunidade empresarial alargada para que possamos ajudar a mudar para melhor o modo como o mundo olha para as mulheres. Destacámos três áreas prioritárias para acelerar a igualdade de géneros e a capacitação das mulheres no setor privado: estamos a apelar às empresas para se tornarem conscientes relativamente aos géneros, serem ativos nestas matérias e serem a nova norma. Consulte o nosso Artigo Técnico sobre Oportunidades para as mulheres (PDF | 7MB) para saber mais.

Downloads

Artigo Técnico sobre Oportunidades para as Mulheres (PDF | 7MB)

Libertar o Potencial das Mulheres: a nossa Abordagem (PDF | 203KB)


Expanda para saber mais sobre o oportunidades para as mulheres
Oportunidades para as Mulheres
O nosso compromisso

Até 2020, iremos capacitar 5 milhões de mulheres através da melhoria de oportunidades nas nossas operações; promoção da segurança, desenvolvimento de competências; e aumento de oportunidades nas nossas operações de retalho.

A nossa performance

Melhorámos o nosso equilíbrio entre géneros, com a proporção de mulheres em posições de gestão a alcançar 47%† em 2017. Através de parcerias, até 2017 permitimos que 1,259,000† Ж(ou cerca de 1.3 milhões) de mulheres acedessem a iniciativas orientadas para a promoção da sua segurança, desenvolvimento das suas competências ou melhoria das suas oportunidades.

A nossa perspetiva

A nossa abordagem à capacitação das mulheres é baseada no trio de direitos, competências e oportunidades. Os direitos das mulheres devem ser respeitados e as mulheres necessitam receber as competências e oportunidades para triunfar.

O aumento da produtividade agrícola e o assegurar do nosso fornecimento podem ser mais facilmente alcançados caso as mulheres tenham um acesso justo e equitativo a competências e oportunidades. O impacto da capacitação económica das mulheres tem um efeito transformador no retirar de famílias da pobreza.

Para alcançar a capacitação das mulheres e o crescimento do negócio, necessitamos que sistemas inteiros sofram alterações, conduzidas tanto pelas nossas próprias atividades e iniciativas empresariais, mas também através do diálogo com atores-chave a nível global e nacional. As ideias e perspetivas que adquirimos de outros são críticas para a nossa compreensão dos problemas e prioridades femininos, à medida que continuamos a desenvolver as nossas políticas e práticas.

Assegurado de modo independente pela PwC

Ж Em 2017 cerca de 370,000 mulheres acederam a iniciativas ao abrigo dos pilares Negócio Inclusivo e Oportunidades para as Mulheres


  • Alcançado

  • Dentro do plano

  • Fora do plano

  • %

    do objetivo alcançado

Legenda
  • Alcançado

  • Dentro do plano

  • Fora do plano

  • %

    do objetivo alcançado

Os nossos objetivos

Consulte por favor a Certificação Independente para saber mais sobre o nosso programa de certificação em todo o Plano de Sustentabilidade Unilever.

Construir uma organização com equilíbrio de géneros focada na gestão

Iremos construir uma organização com equilíbrio de géneros focada na gestão.

A percentagem de mulheres em posições de gestão na Unilever alcançou os 47% em 2017.


A nossa perspetiva

Desde 2009, temos estado comprometidos na construção de uma organização com igualdade de géneros. Definimos a ambição clara de ter 50% de mulheres em posições de gestão até 2020.

Continuamos a efetuar progressos, apesar do trabalho não estar terminado. No final de 2017, 47%† de todos os nossos gestores eram mulheres, subindo dos 46% registados em 2016. Contudo, nos níveis seniores, os rácios não são tão elevados: entre os nossos 93 principais executivos, 22% eram mulheres em 2017. Cinco dos nossos 13 membros do Quadro de Diretores eram mulheres (38%) em 2017, em comparação com os seis em 14 de 2016 (43%).

Incluído no nosso Programa de Apoio à Maternidade e Paternidade, lançámos o nosso Padrão Global de Bem-Estar Materno, que oferece uma licença de maternidade paga durante 16 semanas a todos os funcionários. Apesar dos anteriores direitos estarem já de acordo com os requisitos obrigatórios, o novo Padrão é um enorme avanço uma vez que supera, em 54% dos países onde operamos, os requisitos obrigatórios locais.

Promover a diversidade e a inclusão

Promover a segurança das mulheres nas comunidades onde operamos

Iremos promover a segurança das mulheres nas comunidades onde operamos.

Até 2017 havíamos permitido que cerca de 7,000 mulheres acedessem a iniciativas que pretendiam promover a sua segurança nas comunidades onde operamos.


A nossa perspectiva

Introduzimos em 2014 um novo objetivo para a segurança, na sequência de um estudo efetuado no Quénia - que confirmou a segurança como uma questão crítica para as mulheres nas comunidades onde operamos.

Continuamos a interagir com os nossos trabalhadores e a comunidade em geral através de ações de sensibilização, formações sobre assédio sexual e mecanismos melhorados de denúncia.

A nossa abordagem é sistemática e inclusiva, e trabalhamos em conjunto com as comunidades. Continuamos a trabalhar em parceria com organizações externas especializadas para fortalecer ainda mais este trabalho, aumentar a sensibilização, fornecer informação adicional sobre o que constitui assédio sexual, e introduzir mais oportunidades para raparigas se envolverem em atividades sociais.

Em 2016 acordámos um Conjunto Normativo Global para a segurança das mulheres com a ONU Mulheres, que está a avaliar e fortalecer o nosso programa Segurança para Mulheres e Raparigas em Kericho, no Quénia, para que possa ser adaptado a outros países e regiões. Em 2017 alargamos este programa para trabalhar com os nossos fornecedores em Assam, na Índia.

Promover a segurança para as mulheres

Melhorar o acesso à formação e competências

Iremos melhorar o acesso à formação e competências por toda a nossa cadeia de valor.

Até 2017 havíamos permitido que cerca de 1,175,000†Ж*(cerca de 1.2 milhões) mulheres acedessem a iniciativas para desenvolver as suas competências.


A nossa perspectiva

O nosso objetivo é crucial para aumentar a participação feminina na economia.

O acesso à formação é uma das grandes barreiras à participação feminina em formações. É por isto que as nossas formações estão desenhadas para encorajar a participação plena e equitativa de mulheres, por exemplo, sendo ministradas em horários convenientes e locais acessíveis, ou através de cursos online. Estamos também a trabalhar com parceiros, o que nos ajuda a alcançar mais mulheres e encoraja a aprendizagem mútua.

Adotamos uma abordagem holística quando fornecemos acesso à formação e competências, oferecendo formação complementar sempre que possível. Por exemplo, estamos a desenvolver formação agrícola para famílias de pequenos agricultores que é complementada por formação em nutrição com o objetivo de melhorar a diversidade alimentar. De modo similar, pretendemos implementar formações de literacia financeira para pequenos agricultores em locais onde tenhamos já anteriormente oferecido outros tipos de formação. Em 2017 cerca de 370,000 mulheres acederam a iniciativas ao abrigo dos pilares Negócio Inclusivo e Oportunidades para as Mulheres

Assegurado de modo independente pela PwC

Ж Cerca de 370,00 mulheres acederam a iniciativas ao abrigo dos pilares Negócio Inclusivo e Oportunidades para Mulheres

* Em 2017, o nosso total inclui mulheres inscritas em programas que oferecem formação virtual ou remota, consulte as Bases de Preparação Unilever (PDF | 6MB) para saber mais

Melhorar o acesso das mulheres à formação e competências

Aumentar as oportunidades na nossa cadeia de valor de retalho

  • Iremos aumentar as oportunidades para mulheres na nossa cadeia de valor de retalho.

Até 2017, havíamos permitido que cerca de 77,000 mulheres tivessem tido acesso a iniciativas com a finalidade de aumentar as suas oportunidades na nossa cadeia de valor de retalho.


  • Iremos aumentar o número de empreendedores Shakti que recrutamos, formamos e empregamos, de 45,000 em 2010 para 75,000 em 2015.
93

70,000 micro-empreendedores Shakti comercializavam os nossos produtos na Índia no final de 2015.

(Desde 2016 que este objetivo passou a ser parte integrante do nosso objetivo mais abrangente para a cadeia de valor mencionado acima.)


A nossa perspectiva

Em 2016 integrámos as nossas ambições Shakti no nosso objetivo mais alargado para aumentar oportunidades para as mulheres na nossa cadeia de valor de retalho até 2020. Até 2017 aumentámos o número de empreendedoras Shakti para cerca de 74,800.

O nosso programa Shakti é originário da Índia. É uma iniciativa onde todos ganham que estimula a afluência rural enquanto beneficia o nosso negócio e equipa mulheres para a distribuição dos nossos produtos em aldeias. O programa tornou-se no nosso modelo para alcançar consumidores rurais de baixos rendimentos em mercados em desenvolvimento e emergentes. Estamos a adaptar este modelo em vários mercados no Sudeste Asiático, em África e na América Latina. Por exemplo, em 2017, na Nigéria mais de 2,200 mulheres comercializavam os nossos produtos integradas na nossa iniciativa Gbemiga.

Ampliar oportunidades na nossa cadeia de valor de retalho
Back to top